Prefeitura Municipal de Congonhas

Você sabia?
Imprimir Email

Institucional

CRM fortaleceu vínculos e priorizou o empoderamento feminino em 2015

por Secom

03/01/2016 14:00


Muito trabalho e bons resultados, assim foi o ano de 2015 no Centro de Referência da Mulher (CRM). O local passou por uma reformulação no atendimento e tem atraído cada vez mais o público feminino com a inserção de novos projetos e trabalho contínuo de divulgação dos serviços oferecidos pelo Centro. O CRM é um espaço destinado a oferecer à vítima de algum tipo de violência condições para que ela exerça plenamente sua cidadania.

“Com o trabalho de divulgação, conscientização e empoderamento das mulheres que realizamos este ano no CRM, fortalecemos o vínculo com o público feminino e realmente nos tornamos um centro de referência para Elas”, explicou Rafaela Ladeira, psicóloga do CRM.

Em 2015, foram realizados 255 atendimentos pela equipe de profissionais do Centro, formada por psicóloga, assistente social e advogada. “O número de mulheres que procuraram o CRM aumentou muito esse ano. Em 2013, foram realizados 100 atendimentos e em 2014, 109. Isto mostra que agora as mulheres sabem da existência do Centro e que o local é feito especialmente para atendê-las. Este avanço é muito importante”, destacou.

Conscientização e divulgação

Para divulgar o Centro de Referência da Mulher e conscientizar sobre a importância da prevenção da violência doméstica e da realização de denúncias em casos de agressão, foram realizadas diversas ações no decorrer de 2015. Palestras educativas aconteceram nas escolas municipais Rosália Andrade (Alvorada), Michael Pereira de Souza (Praia), Fortunata de Freitas (Basílica) e Dom João Muniz (Jardim Profeta).

A equipe do CRM também participou de atividades nos centros de referência de assistência social (CRAS) dos bairros Dom Oscar, Alvorada e Pires e de reuniões do Programa de Educação em Sexualidade e Cidadania (PESC).

Além disso, os profissionais estiveram presentes em diversos eventos da cidade como Festival da Quitanda, Ação Global, conferências municipais e o Outubro Rosa, levando á população material educativo e prestando esclarecimentos sobre os serviços prestados no CRM.

Maria Barroca

Maria Barroca, desenvolvido pelo CRM a partir do segundo semestre de 2015, busca gerar renda e promover a autonomia das mulheres do munícipio inscritas nos programas sociais do governo. O Maria Barroca conta com auxílio profissional das diretorias de Trabalho e Renda e do SINE, ligados à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável (SDS), a Diretoria de Educação para o Trabalho, da Secretaria Municipal de Educação (SME), a coordenação dos cursos do PRONATEC, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social (SEDAS), além do SEBRAE e EMATER.

“Em 2015, também demos o pontapé inicial para o programa Maria Barroca que, mesmo ainda em construção, tem tido um papel importante no auxílio às mulheres que precisam e querem ter autonomia financeira. Foram realizadas várias reuniões para entender as necessidades das mulheres do programa, curso de competências básicas para o trabalho e visitas técnicas em salão de beleza, ao grupo de artesãs Pata da Loba e na Feira da Agricultura Familiar de Minas Gerais. O projeto terá continuidade neste ano, inclusive com a oferta de cursos gratuitos de capacitação”, explicou a assistente social do CRM, Aline da Silva Gonzaga de Melo.

Cerca de 50 mulheres já estão inscritas e participando das atividades do Maria Barroca. “Eu participo do programa desde o comecinho. Não perdi nenhuma palestra e nenhum curso. Gostei da oportunidade de conviver com outras mulheres e com pessoal do CRM e estou cheia de expectativa para o este ano. Preciso muito conseguir um trabalho, uma fonte de renda, já que estou desempregada no momento. É muito enriquecedor participar do Maria Barroca,” explicou a moradora do Alvorada Sarah Pedra Oliveira, de 32 anos.

Patrulha da Violência Doméstica

Além do CRM, as mulheres congonhenses passaram a contar, este ano, com a Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica (PPVD) da Polícia Militar. Dois policiais atendem e acompanham os casos de violência doméstica registrados. Este trabalho é integrado com os profissionais do CRM para impedir reincidência de violência e prevenir novos casos.

Se preferir, Ligue 180

A vítima pode ainda utilizar os serviços da Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência para denúncias e reclamações sobre os serviços da rede de atendimento à mulher. Os profissionais orientam as mulheres sobre seus direitos e sobre a legislação vigente, encaminhando-as para outros serviços quando necessário. O Ligue 180 funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados.   

O CRM fica à Rua Antônio Andrade de Freitas, nº 3, (atrás do supermercado) no Centro, e funciona de segunda à sexta-feira, das 7h às 18h. Mais informações: (31) 3731-4428. 

 

 



Galerias de Imagens

Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página