Coleta seletiva pode contribuir para combate ao Aedes aegypti

De janeiro a julho deste ano, foram notificados 43 casos de dengue em Congonhas, sendo que apenas três foram confirmados. Os dados foram apresentados durante o 40° encontro do Comitê Municipal de Combate à Dengue, realizado nesta quarta-feira, 8, na Secretaria Municipal de Saúde. A equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente também participou do encontro para explicar o funcionamento da Coleta Seletiva no Município, que é uma das formas de se prevenir e combater o mosquito, que também transmite a Chikungunya e o Zika Vírus.

Os números levantados pelo setor de Epidemiologia no Município mostram que houve uma queda nas ocorrências da doença. No entanto, as estratégias de prevenção e combate ao Aedes aegypti devem continuar, principalmente no período chuvoso que se aproxima.

Além de eliminar objetos que podem acumular água, evitando a proliferação do mosquito, a população deve armazenar e destinar o lixo corretamente, mantendo os recipientes sempre fechados. Ao fazer a Coleta Seletiva, o número de depósitos descartados no meio ambiente diminui, eliminando, assim, locais que poderiam ser propícios para a reprodução do Aedes aegypti.

A população congonhense produz 32 toneladas por dia de lixo, sendo que mais de 70% dele é composto por materiais que podem ser reciclados e reutilizados. O caminhão da Coleta Seletiva atende todos os bairros, de segunda a sábado. A Secretaria de Meio Ambiente tem promovido diversas ações para conscientizar a população sobre a importância da reciclagem e trabalha em parceria com o Departamento de Fiscalização e Vigilância em Saúde.