Congonhenses divulgaram Festival da Quitanda no Mercado Central

As quitandeiras e os quitandeiros de Congonhas já são figuras presentes no Mercado Central de Belo Horizonte. No sábado, 12, mais de 20 culinaristas congonhenses foram até o local para divulgar o evento mais gostoso de Minas Gerais: o 18° Festival da Quitanda. O público experimentou – e aprovou – os quitutes da Cidade dos Profetas. A festa da gastronomia acontece neste domingo, 20. Já a Noite de Caldos e Violas acontece no sábado, 19.

A parceria com o Mercado Central de Belo Horizonte já dura mais de três anos e deve continuar. Segundo o diretor superintendente do espaço, Luiz Carlos Braga, este ano deve ser realizado o 2° Encontro das Quitandeiras. No primeiro, realizado em 2016, foram montados 10 stands para a exposição dos produtos de Congonhas. “O Mercado Central, enquanto um polo gastronômico e cultural do Estado, não pode ficar de fora dessas parcerias. Para falar de quitanda, tem que falar do Mercado Central e da gastronomia mineira. Para nós, é uma parceria muito legal, ficamos felizes”, comenta.

A quitandeira Maria do Socorro participa do Festival da Quitanda há 16 edições. Para ela, ir ao Mercado Central é bom para divulgar o trabalho e a festa. “Convidamos as pessoas e elas demonstraram interesse em ir ao Festival. Elas ficam conhecendo a festa e apreciam as quitandas. Participar do Festival da Quitanda  é muito emocionante, porque conhecemos pessoas e fazemos amizade. É muito gratificante”, diz.

Festa da gastronomia

A Noite de Caldos e Violas, que acontece neste sábado, 19, terá comercialização de caldos e comidas típicas para aquecer o público neste clima de quase inverno. O cantor e compositor Alceu Valença é uma das atrações confirmadas neste grande evento. O show está marcado para às 21h. As outras apresentações serão divulgadas em breve.

Já durante o 18º Festival da Quitanda, que acontece neste domingo, 20, serão realizadas atividades culturais – com apresentações de música de raiz e de congados -, e comercialização, em 50 stands, dos quitutes e especiarias das mais tradicionais famílias de Congonhas e região.