Apresentação da Fazenda Modelo do CODAP abriu novas perspectivas para a cadeia produtiva de alimentos

O Consórcio Público para o Desenvolvimento do Alto Paraopeba (CODAP) apresentou às prefeituras consorciadas e a parceiros os primeiros resultados obtidos na área de 32 hectares do Centro de Referência da Agricultura Familiar em Territórios Mineradores (CRAF), localizados em frente à Fazenda Carreiras, em Ouro Branco, de propriedade da Gerdau e cedida por regime de comodato ao consórcio. Os presentes puderam ver a lavoura e grãos das safrinhas de feijão, sorgo e milho. O resultado apresentado aos produtores rurais contribuirá para que definam as espécies para o plantio em um segundo período do ano.

Participaram o prefeito Hélio Campos, o vice Celso Vaz (Ouro Branco), os servidores da Secretaria de Agricultura da Prefeitura de Ouro Branco e os vereadores de Ouro Branco Reinaldo da Silva e José Irenildo; a ex-prefeita de Ouro Branco, Cida Campos; o prefeito Zelinho (Congonhas – presidente do CODAP), o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Tecnologia, Christian Souza Costa, e o presidente da Câmara Municipal, Adivar Barbosa; José Walter Resende Aguiar (Entre Rios de Minas), o secretário de Agricultura, Rodrigo Silva, e o presidente da Câmara Municipal, Franklin Soares; o secretário de Agricultura de Jeceaba, Aerton Ferreira de Oliveira; a secretária de Agropecuária de Belo Vale, Kelly Cristina; Geraldo Dutra, gerente de Desenvolvimento Econômico e servidores da Prefeitura de Conselheiro Lafaiete; o secretário-executivo, Rodolfo Gonzaga, e a equipe do CODAP; o vereador de Conselheiro Lafaite, Pedro Américo; o supervisor de Transferência de Tecnologia da EMBRAPA, Fredson Ferreira Chaves, o extensionista da EMATER em Ouro Branco, Paulo Marcelino; a representante da Gerdau – Usina de Ouro Branco, Aline Oliveira; o presidente do Comitê Gestor do Geopark Quadrilátero Ferrífero e o INCT ACQUA, Renato Ciminelli; o gerente regional da EMATER-MG, Vitório Alves Freitas; a representante do SEBRAE, Fernanda Barbosa; o presidente da Associação dos Agricultores Familiares de Ouro Branco, João Carlos Dias, e os produtores rurais que auxiliaram no plantio experimental Luis Gonçalves Ribeiro, Sebastião Calisto Ribeiro, Vicente Marcelino Ribeiro, Milton Geraldo Aparecido Martins, Jorge Lúcio da Cunha, José Salvador Ribeiro, Wellington Alfredo de Souza Dias, Luan Catriel Martins Dias e Geraldo Lopes da Silva; e alunos do 5º e 8º anos da Escola Nossa Senhora do Carmo, da comunidade de Cristais, em Ouro Branco, acompanhados da professora Carla.

O presidente do CODAP lembrou personalidades importantes para que a Fazenda Modelo se tornasse realidade. “Este consórcio foi criado por poucos prefeitos e um deles e primeiro presidente foi Anderson Cabido [prefeito de Congonhas entre 2004 e 2012]. Um dos sonhos dele era ver funcionando esta fazenda modelo, que agora nós, prefeitos atuais, estamos realizando. A Cida Campos [ex-prefeita de Ouro Branco], minha antecessora na presidência do Consórcio, conseguiu firmar este compromisso com a Gerdau para que pudéssemos contar com a área para realizar experimentos. Este é um caminho sem volta. Estamos acompanhando os avanços tecnológicos em todas as áreas de produção e na agricultura ela permite ao Brasil bater ano a ano recorde de safra. Mas esta ação e tantas outras são possíveis pela participação efetiva do prefeito Hélio Campos e seu vice Celso Vaz, de Ouro Branco, e José Walter, de Entre Rios e vice-presidente do Consórcio, de toda a equipe do CODAP, que trabalha incessantemente e nossos parceiros. Ouro Branco, Entre Rios, Congonhas e Brumadinho e outras cidades que estão próximas de se juntarem ao CODAP contarão com estes resultados. Temos à disposição processos licitatórios e desenvolvemos projetos como o SIM Consorciado e Castra Móvel”, discursou Zelinho.

O vice-presidente do CODAP e prefeito de Entre Rios de Minas, José Walter, também analisa a importância dos estudos realizados na fazenda modelo. “O Centro de Referência da Agricultura Familiar, que é uma fazenda experimental, onde já são desenvolvidas pesquisas tecnológicas para serem colocadas à disposição de nossos produtores familiares, objetiva desenvolvimento econômico e social para Entre Rios de Minas e demais municípios de nossa região. O emprego de tecnologia trará como consequência o aumento da produção e da qualidade dos produtos, além de concorrer para a sucessão familiar, fixando os jovens no campo e aumentando a qualidade de vida dos agricultores familiares. É a tecnologia que chega ao campo do Alto Paraopeba para a melhoria da qualidade de vida de quem lá vive e de todas as pessoas que dependem dele para uma vida mais saudável”.

O prefeito Hélio Campos se mostrou satisfeito com estes primeiros resultados da Fazenda Modelo, saudou a união entre os prefeitos em torno do desenvolvimento regional, os parceiros neste projeto, entre estes os produtores rurais e ratificou as palavras de Zelinho: “O CODAP se dedica ao desenvolvimento regional. Este possibilita a nós, prefeitos, participar de projetos como este, como a realizar nossas compras públicas com preços mais em conta, através das atas de preço”.

Durante o evento, alunos do 5º e 8º anos e a diretora Carla da EscolaMunicipal Nossa Senhora do Carmo, da comunidade de Cristais, em Ouro Branco, expuseram alimentos, como doces e vegetais, produzidos com o auxílio de funcionários da escola e que fazem parte de um projeto ligado ao empreendedorismo. O dinheiro arrecadado é destinado àquela instituição de ensino.

Da programação constaram ainda palestras. O secretário executivo do CODAP, Rodolfo Gonzaga, relatou o histórico do consórcio, desde sua criação até os dias atuais e a contribuição que este já ofereceu à região, já que participou, entre tantas outras iniciativas, das negociações para a implementação da UFSJ/Campus e outras instituições de ensino e pesquisa. Foi realizado pelo CODAP o diagnóstico rural dos municípios, mapeamento e nomenclatura das estradas rurais. Diversos eventos mobilizadores no território como palestras, seminários e conferências.  Firmou parceria com EMBRAPA, EMATER, EPAMIG, SEBRAE, UFSJ, IFMG e INCT Acqua.

Paulo Marcelino, extensionista da EMATER em Ouro Branco, lembrou como foi conduzida este primeiro experimento até agora. “Começamos por uma experiência pequena, porque ficar esperando um grande projeto pode tornar inviável esta Fazenda Modelo, já que o Centro de Referência da Agricultura Familiar era orçado em cerca de R$ 12 milhões. Então começamos com a Prefeitura de Ouro Branco, que preparou o terreno; os produtores, que realizaram o plantio no dia 9 de fevereiro de sementes de Milho BRS 4103 (variedade melhorada criada no Centro de Pesquisa EMBRABA Milho e Sorgo, de Sete Lagoas), Feijão Milênio (criado na unidade da EMBRAPA de Goiânia) e Sorgo Santa Elisa (criado também pela EMBRAPA Milho e Sorgo), e a EMATER, que doou as sementes. Hoje podemos ver que, apesar de termos plantado milho e sorgo fora de época, a lavoura está razoável e melhor do que outras que vemos por aí. Chegamos à conclusão de que são três opções para plantio da safrinha em nossa região”, avaliou.

O supervisor de transferência de tecnologia da Embrapa, Fredson Ferreira Chaves, lembrou que tão importante quanto o apoio dos órgãos estaduais e federais, parceiros nesta caminhada, é a participação dos agricultores. “As pesquisas não podem nascer da cabeça do pesquisador, e sim das demandas dos produtores rurais. Entramos neste projeto com o CODAP em 2012 e sempre enfatizamos a necessidade desta união de forças. O primeiro convênio entre CODAP e EMBRABA foi firmado em maio de 2011. Quando este venceu, percebemos que seria necessário realizar outro em 2016 entre CODAP, EMBRAPA, EPAMIG E EMATER. Só assim conseguimos iniciar o trabalho de pesquisa e socialização de conhecimentos para os produtores da região. A Gerdau, que já é parceira na cessão do terreno, pode contribuir novamente com subprodutos da siderurgia, que após realização de testes, deverão servir para produção de fertilizante ou corretivo de solo. E este é o local para estes testes. Agora temos de avançar para a execução do planejamento. Contamos com outras instituições públicas e privadas para dar sequência. O CODAP já conta com profissionais de veterinária e produção de alimentos, que poderão nos ajudar a partir também para pesquisas na pecuária e na produção frutífera”, informou o representante da EMBRAPA, que aproveitou para convidar a todos para a próxima edição da Semana de Integração Tecnológica (SIT), de 21 a 25 de maio, na EMBRAPA Milho e Sorgo, em Sete Lagoas. Ele levantou a hipótese de, futuramente, realizar um evento como este para o Centro de Referência.

Presidente da Associação dos Agricultores Familiares de Ouro Branco, João Carlos Dias também abraçou essa ideia desde o início. “O melhoramento genético de espécies vegetais e animais vão nos ajudar muito. Os associados estão entusiasmados. Aprendemos de cara o que dá certo ou não na safrinha. Eu produzo feijão e milho. Chamamos os demais produtores a conhecerem a Fazenda Modelo. A Prefeitura de Ouro Branco ajuda muito a associação. Nós vendemos para a alimentação escolar daqui e de Conselheiro Lafaiete”, lembrou.

O agricultor Wellington Alfredo de Souza Dias participou do experimento, cedendo a máquina para o plantio. “É muito gratificante poder colaborar, ver as coisas evoluírem, a agricultura não pode parar, temos de sempre inovar. Estamos aprendendo a fazer a coisa certa e na hora certa, não adianta ter a melhor semente, e não saber cultivá-la. Eu produzo milho, leite e goiaba. Se vierem pesquisas com frutas, vou querer fazer um pomar. Experimentei o sorgo safrinha e cheguei a conclusão que é melhor plantar na época correta dele”, diz.

Busca de alternativas

Já o presidente do Comitê Gestor do Geopark Quadrilátero Ferrífero e o INCT Acqua, Renato Ciminelli, iniciou sua fala contextualizando o Geopark neste processo. Este é um programa de desenvolvimento sustentável global presente em regiões de alta importância geológica ou mineral, que segue metodologia da UNESCO. O Geopark Quadrilátero Ferrífero foi lançado oficialmente em 2011. Renato lembrou que a entidade faz parte dos esforços no Alto Paraopeba para o desenvolvimento de atividades econômicas alternativas à mineração. “A China é o país onde há mais Geoparks. Possuímos uma parceria formal entre os Geoparks e o da região de Bethune-Lille, na França, que vive o momento pós-mineração e já avançou muito. O objetivo é buscar a solução para quando a mineração não garantir mais os recursos necessários para estas regiões do Mundo. O Brasil está muito distante do processo de inovação, que é o que leva à competitividade. O Alto Paraopeba tem uma condição muito privilegiada em nível nacional, por possuir um complexo industrial de porte robusto. Temos de ser ambiciosos com relação ao tempo e sobre a necessidade de cada negócio gerar renda e trabalho. Com uma visão global, percebemos que cada propriedade da Agricultura Familiar pode avançar muito, desde que agreguemos valor aos seus produtos e criemos uma relação deles com a atividade turística, por exemplo. Este evento marca essa ambição. Nosso trabalho é considerado pelo Ministério de Meio Ambiente como referência e como Sala Verde do Alto Paraopeba. Com esta união dos prefeitos, podemos nos tornar um centro de cooperação aos produtores rurais, que formam nosso público-alvo e são os principais atores. Mais pra frente poderemos vender tecnologia para o Pará, que há pouco tempo ingressou na produção mineral”, comentou.

 

O evento foi encerrado com a homenagem a algumas das pessoas que contribuem para o fortalecimento do CODAP e principalmente do Centro de Referência da Agricultura Familiar, como os prefeitos Zelinho, Hélio Campos e José Walter (foto) e parceiros, com a entrega troféus.