Armazém de Secos e Molhados é uma das atrações do Festival da Quitanda

O Festival da Quitanda está sempre inovando sem perder sua essência e originalidade. Em 2017, a festa ganhou mais uma atração: o Armazém de Secos e Molhados, construído aos moldes das mercearias encontradas no interior mineiro. No espaço são vendidos diversos produtos artesanais, como fubá, queijos, café moído e temperos.

O chefe do Departamento de Culturas Populares da Prefeitura, José Félix Junqueira (Zezeca) explica que a montagem do Armazém de Secos e Molhadas é um resgate de nossas tradições mineiras. As antigas vendas comercializavam toda espécie de mercadorias, como cereais, carnes, bebidas, tecidos, aviamentos, roupas, produtos agropecuários e até medicamentos e cosméticos.

“A organização do Festival se propõe a reproduzir essa rica diversidade como um atrativo temático, além de ser oportunidade de comercialização para os expositores do Armazém. É o café moído na hora da Dona Terezinha, os queijos e frutas do Zezinho, o fubá de moinho d’água e farinhas do Clemente, os temperos do Vieira, arroz, feijão e rapaduras do John. A maioria são participantes do Mercado do Produtor Rural”, completa.

Tendo a Romaria como cenário principal, o Festival da Quitanda movimenta cerca de 30 mil pessoas todos os anos. Essa grande festa da gastronomia mineira, que acontece sempre no terceiro domingo de maio, foi cancelada devido à pandemia do coronavírus. Ainda não há previsão de nova data para a realização do evento, segundo a Secretaria Municipal de Cultura.