DESTAQUE EM CONGONHAS

Barracas se instalaram da Basílica até a Matriz por mais de dois séculos

Por Secretaria Municipal de Comunicação e Eventos - 12 de setembro de 2023

O Jubileu do Bom Jesus de Matosinhos é uma festa religiosa que atrai milhares de peregrinos à Congonhas há mais de 240 anos. E junto com os peregrinos, inúmeros comerciantes também se instalam pelas ladeiras que dão acesso ao Santuário. No período de 7 a 14 de setembro, quem vem pra festa cumpre os preceitos de sua crença religiosa mas não deixa de passar pelas centenas de barracas que vendem de tudo.

Esse comércio paralelo é relatado desde os primeiros anos da festa religiosa. De acordo com o historiador André Candreva, em seu artigo sobre a história sobre o Jubileu de Congonhas, comerciantes vindos em grande maioria de São Paulo, se estabeleceram ao longo da ladeira Bom Jesus ainda no final do século 18. Muitos deles criaram uma referência e se instalaram por vários anos no mesmo local.

Por mais de 200 anos as barracas foram instaladas desde a Basílica do Bom Jesus até a Praça da Matriz Nossa Senhora da Conceição passando pelo centro da cidade. A partir dos anos 1920, com a popularização do trem e dos caminhões com meio de transporte, muitos romeiros desembarcavam na Estação Ferroviária de Congonhas. Com o fluxo grande pedestres na Estação, barracas também eram montadas na Avenida Governador Valadares e na Rua Dr. Paulo Mendes (que dá acesso ao CET).

Com o crescimento da cidade, o aumento da frota de veículos e a extinção do trem de passageiros, nas últimas décadas foi necessário ajustar a instalação das barracas para garantir o fluxo normal do trânsito do município.

Ainda assim, na atualidade a tradição das barracas que vendem todo tipo de mercadoria se mantém e elas atraem muitos turistas para a cidade. E parafraseando a linguagem informal e popular da atualidade: “quem nunca deu uma volta pelo ‘shopping-leu’? Ou ainda, quem nunca comeu uma maçã do amor ou um churro?”

Se puxarmos pela memória, sem dúvida serão muitas as lembranças de algum som ou propaganda que algum comerciante usava – ou ainda usa – exaustivamente para chamar a atenção dos peregrinos para comprarem o seu produto. Você se lembra de algum?

Por Reinaldo Silva /Foto: Reprodução Internet