Congonhas é homenageada durante lançamento do livro “Violas de Queluz”

Congonhas recebeu uma homenagem, concedida pela Liga Ecológica Santa Matilde (Lesma) durante o lançamento do livro “Viola de Queluz – Família Souza Salgado”, de autoria de Valter Braga de Souza, realizado nessa quinta-feira, 10, no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. A obra já havia sido lançada em agosto, no Museu de Congonhas, na Semana Municipal de Valorização do Patrimônio, promovida pelas secretarias de Cultura e de Educação.

Os homenageados foram a secretária de Cultura, Míriam Lúcia Palhares, o diretor de Patrimônio Histórico, Luciomar Sebastião de Jesus, e o historiador André Candreva.

Foi no Jubileu de Congonhas que o som da Viola de Queluz ganhou Minas Gerais e o mundo. Originário da antiga região de Queluz, esse importante instrumento foi difundido em meio à fé e à devoção ao Senhor Bom Jesus de Matosinhos, tornando-se um dos principais símbolos da mineiridade.

A Viola de Queluz era fabricada artesanalmente na região de Queluz, entre os séculos 19 e 20. A família Salgado foi uma das mais tradicionais no exercício do ofício. Filho de João Salgado e neto de José de Souza Salgado, Valter Braga de Souza é guardião do acervo histórico das Violas de Queluz de sua família.