Participantes da Colônia de Férias do CRAS Alvorada aprenderam se divertindo

O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Alvorada realizou uma colônia de férias, de 21 a 25 de Janeiro, para 50 crianças e adolescentes de 6 a 17 anos do território que abrange 12 bairros. As atividades aconteceram no Parque Ecológico da Cachoeira, em um sítio na Joana Vieira, no Clube Astra e na sede do próprio CRAS. Encerrado este período de atividades extras, já foram retomadas as oficinas de convivência oferecidas por aquele equipamento vinculado à Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social (SEDAS), da Prefeitura de Congonhas.

A garotada se divertiu nos cinco dias de colônia de férias do CRAS Alvorada com uma festa tropical com dança, brincadeira e lanche; passeio ecológico guiado pela estrada de acesso ao Parque Ecológico da Cachoeira, em que os participantes receberam informações sobre nascentes de água, as antigas minas de veeiro, de onde se extraía ouro, a rica vegetação e o sítio que pertencia a Zé Arigó; visita ao balneário, onde fizeram atividades esportivas e almoçaram; visita ao, sítio de Aristeu, na região da Joana Vieira, local em que houve contato com a vida no campo, futebol e natação. Neste período de atividades produtivas, também houve um concurso de dança e exibição dos filmes “Detona Halph”, para crianças, e “A Freira”, para adolescentes, na sede do CRAS, e mais futebol e natação no Clube Astra.

De acordo com a coordenadora do CRAS Alvorada, Laila Ferreira, “a Colônia de Férias tem objetivo de envolver toda a comunidade em atividades proveitosas para crianças e adolescentes em locais que não costumam frequentar no dia a dia. Nestes locais, são realizadas atividades que proporcionam interação entre os participantes, que têm a oportunidade de aprender a respeitar regras, o espaço do outro e perceber suas potencialidades”.

As oficinas de convivência, de balet, jiu-jtsu e música, e as socioeducativas, de ciranda cirandinha (que atende crianças entre 5 e 10 anos) e do grupo Esperança (crianças e adolescentes entre 11 e 17 anos) foram retomada esta semana.

“Os grupos proporcionam convivência e o fortalecimento de vínculos entre familiares e comunidade por meio de experiências lúdicas e pedagógicas. Este ambiente possibilita aos usuários do CRAS conhecerem seus direitos e deveres de cidadãos, a desenvolverem sua autoestima e a oportunidade de expressarem suas opiniões sobre a comunidade onde vivem”, conclui Laila.